quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Noite e dia

E, do dia para a noite, tudo muda. O riso vira lágrima. O amor vira mágoa. O que era próximo se afasta e o distante não volta mais. Mas a tristeza é bonita e a alegria é irônica. A gente se agarra às ilusões na esperança de salvar alguma coisa, só que nada fica. Tudo se esvai.

E, da noite para o dia, tudo muda. A lágrima vira riso. A indiferença vira amor. O que era distante se aproxima e não se afasta mais. Da noite para o dia, do dia para a noite, da noite para o dia, tudo corre, tudo vibra, tudo passa e se repete. A gente se agarra às ilusões na esperança de ganhar alguma coisa, só que nada fica. Tudo se perde. Mas a alegria é bonita e a tristeza é irônica. Ninguém morre. Vira lembrança. A vida continua depois, como antes, diferente, nova, com ou sem porquê, contudo, apesar de tudo. O tempo passa e nos ultrapassa. Dia e noite, noite e dia, dia e noite, noite e dia, dia e noite... Todo dia (re)começo, toda noite (re)fina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário