domingo, 8 de janeiro de 2017

Trampolim


À margem do trampolim, ou você pula ou desiste de vez. Não dá para rodear a piscina, molhar o pé na água para checar a temperatura, se pendurar na escadinha e não passar do primeiro degrau. A dor do impacto na água é seguida pelo prazer da refrescância. A dor da frustração não tem consolo. É calor nas faces que só a lágrima alivia – em parte: a lágrima morna do meio termo não vale as gotas de alegria que escorrem pela pele molhada, sedenta de vivências. Então, ou você pula de vez ou libera o trampolim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário